segunda-feira, 29 de junho de 2009

Décadence du journal imprimé



Vídeo realizado pra disciplina sistemas da comunicação de prof Ruy Rocha

domingo, 28 de junho de 2009

Ser jornalista é difícil... para todo o mundo


Não é só no Brasil que a vida de jornalista é difícil, e dessa vez eu prometo nem tocar no bendito assunto "obrigatoriedade do diploma" que obviamente deve ser discutido, mas não deve ser somente ele a ser discutido, existem outros temas que merecem espaço. Como por exemplo a situação da Venezuela onde ocorreram duas passeatas uma de chavistas que pediam o "fim do terrorismo na mídia" e outra de opositores que exigiam respeito à liberdade de expressão e ao canal de televisão privado Globovisión em pleno o dia do jornalista lá na terrinha de Hugo Chávez.



Vale ressaltar que essa não foi uma ação somente entre os profissionais do jornalismo. Milhares de pessoas se juntaram e caminharam junto dos repórteres pedindo a "defesa do acesso à informação" e "a perseguição à Globovisión" por parte do governo. A supracitada rede de TV venezuelana é conhecida por ser o canal de informação 24 horas que mais faz críticas ao governo e que por isso sofre diariamente com o doloroso corte da censura direta e indiretamente. Paralelamente, outras milhares de pessoas acompanharam outro grupo de jornalistas "socialistas" até a Assembléia Nacional, para entregar um documento que exige o "fim do terrorismo na mídia". "Esta pátria socialista quer comunicadores sociais, de meios alternativos e homens e mulheres com valores e ética socialista", disse Cilia Flores, presidente do Parlamento, ao receber o informe. Uma pena não existir esse tipo de apoio às tantas manifestações que existem aqui no Brasil.



Outro desafio para os jornalistas acontece na Itália, lar do modelo e atriz Sílvio Berluscone. Pois, o Sarney da terra da pizza (Sílvio controla cerca de 80 % dos veículos de telecomunicações) é o criador de uma tramóia que o tornará ainda mais o megaempresário das comunicações na Itália. Berlusconi, que já é conhecido por fazer leis para garantir-lhe o seu bem-bom inventou a Lei Alfano, um projeto que proíbe qualquer tipo de interceptação de telefonemas e de mensagens enviadas por celular e e-mail (exceto em casos de envolvimento com a máfia). A lei da mordaça além de dificultar e muito o trabalho do Ministério Público, estipula um tempo médio de 1 à 3 anos de prisão para o jornalista que publicar o conteúdo obtido de escuta ou obtidos de alguma investigação. Detalhe: desde 2005 existia uma pressão contra as intercepções , pois varias delas sobre investigações criminais envolvendo políticos, empresários e famosos foram publicadas.



Engraçado... Acho que já ouvi coisa parecida acontecendo aqui pelo Brasil.

sábado, 27 de junho de 2009

London Bands

Foto: Goodshoes

Sempre achei altamente style o sotaque londrino, é como um diferencial. As grandes bandas sempre tem aquele inglês norte americano, quando eu ouço um "bettar" (better) logo me vejo escutando qualquer tipo de conversa em ingles bretão.

Art Brut, The Holloways e Goodshoes são as minhas novas bandas, nem sei se alguem aí já conhece e já acha ultrapassado (tudo entra e sai de moda tão rápido que eu nem sei), mas descobri essas bandas londrinas anteontem e não consigo parar de escutá-las. Elas tem em comum de fazer um rock indie que você logo liga com arctic monkeys, libertines, bloc party e the last shadow puppets. Guitarras brandas e batidas contagiantes são o prato principal dessas bandas que fazem sucesso nos escuros e gélidos pub's londrinos.

*Do art brut destaco Formed a Band, My Little Brother, 18.000 Lira e Moving to L.A. do disco Bang Bang Rock and Roll que foi o disco que eu baixei (sim, sou um criminoso!).
*Em termos de Goodshoes consegui o Think Before You Speak de 2007 minhas favoritas até agora são: Nazanin, Photos, Morden, Everybody Talking e Bue Eyes.
*Agora, The Holloways ainda não tive tempo nem de dar uma escutada superficial. O pouco que ouvi no myspace me agradou, a capa do cd So This Is Great Britain? é bem legal.

ouvindo: spaceman.mp3 - thekillers

sexta-feira, 26 de junho de 2009

A mídia tem dono


"Quando escuto falar na palavra midia logo me vem a mente uma entidade que nos observa e vigia lá de cima, acima de qualquer classe. Ahhh, sim! Eu também acredito em papai noel e coelhino da pácoa."

Pensar que a mídia é imparcial é uma utopia. Afinal, o que é midia? Mídia é quem faz a mediação das informações que o publico tem acesso, ou seja, os meios de comunicação. E esses meios de comunicação impreterivelmente tem um dono, ou donos, e o que um dono faz? O dono manda e desmanda. Diretores, gerentes, editores, redatores, repórteres, tem algum poder de decisão; mas a decisão final é do dono e logicamente esse dono tem seus interesses de classe para defender.

É daí que vem toda a briga para a democratização da mídia, mas se nem a nossa democracia é verdadeira pois existe ministro do STF mandando e desmandando no brasil e senador viajando pra tudo que é canto do mundo em vez de ficar discutindo os rumos do país, o que nos resta a fazer? Deixar qualquer um ser jornalista? Deveria ser melhor oferecer ensino superior de qualidade pra todos, ai sim teriamos meios de comunicação de qualidade.

quinta-feira, 25 de junho de 2009

Em defesa da queda do diploma


Maxwell dos Santos,no site observatoriodaimprensa escreveu que: “Ao contrário de médicos, advogados e engenheiros, cujas atividades trabalham com a vida e a segurança das pessoas (conseguintemente, precisam de cursos técnicos e diplomas que atestem sua capacidade profissional), o jornalista escora-se no dom do espírito, independente da natureza de sua profissional. O jornalista tem que ter uma formação cultural sólida, que não se adquire somente na faculdade, mas pelo hábito de leitura e exercício da prática profissional.”

Então quer dizer que uma matéria que qualquer pessoal leia no jornal, escute no radio ou veja na televisão não tem nenhuma ligação com sua vida? Que uma matéria sobre uma série de estupros ocorrendo em alguma cercania não é nenhum alerta a segurança? E não venha me dizer que uma pessoa que só trabalha e não tem nenhum tempo para a reflexão, que não tem nenhum contato com o mundo acadêmico superior para mostrá-lo os caminhos da boa leitura e da boa cultura tem um ótimo background. Duvido que a grande maioria do povo tenha interesse, assim do nada, para ler Nietzsche, Platão, Darcy Ribeiro, James Joyce, Franz Kafka... É o clima acadêmico que propicia essas leituras.

E onde seria que se aprenderia ética profissional? Numa redação cheia de pessoas que só querem o bem da empresa? Não senhor! É na universidade. É nela que surgem as mais diversas discussões sobre o tema e tentar aprender isso na pratica é como tentar ganha na megassena.

No mesmo texto deste senhor, ele coloca como argumento a liberdade de expressão. Só o que me resta é rir desse argumento. Então antes, quando o diploma era obrigatório todo mundo exceto os jornalistas podiam preferir suas opiniões? Acho que não... Melhor, tenho certeza que não.

Só para finalizar, o autor desse texto sempre afirma quis ser jornalista, tentou por dois anos e não conseguiu entrar e hoje cursa Historia na Universidade Federal do Espírito Santo, tendo pensado em reopção, mas desistido.

Nem preciso comentar...

domingo, 21 de junho de 2009

Texto retirado do site da Carta Capital:

"O empresário Gilmar prospera

19/06/2009 13:54:36

Redação CartaCapital

Assumir a presidência do Supremo Tribunal Federal (STF) fez bem aos negócios de Gilmar Mendes. Desde que passou a ocupar o posto, sua escola, o Instituto Brasiliense de Direito Público (IDP) expandiu o número de contratos com órgãos públicos. Todos sem licitação. Em 2007, quando Mendes ainda era só ministro do STF, o IDP faturou 216,3 mil reais com esses convênios. No ano passado, a quantia subiu para 577,8 mil. E no primeiro semestre de 2009, o Tesouro já empenhou 597,8 mil para pagar os cursos oferecidos pelo instituto.

Até a Polícia Federal, que, segundo o ministro, abriga “gângsteres”, virou cliente. Foram 17,4 mil reais para pagar cursos a dois delegados. O estranho é que o contrato, também sem licitação, não tem uma identificação clara no Siafi, o sistema eletrônico que lista as ordens de despesa do governo.

No corpo docente do IDP, como se sabe, figuram, entre outros, procuradores da República, auditores fiscais e ministros dos tribunais superiores, inclusive do STF, como Eros Grau e Carlos Ayres Britto, Nelson Jobim (Defesa), Jorge Hage (Controladoria-Geral da União), Mangabeira Unger (Planejamento Estratégico) e José Antonio Toffoli (Advocacia-Geral da União) são alguns dos representantes do Executivo nos quadros do instituto. Sem ligar para o conflito, o IDP costuma ministrar cursos nestes tribunais e repartições."

geracao domesticada.mp3 - porcos cegos

O coronelismo na era digital

Claro que hoje a internet esta promovendo uma maior democratização da mídia. Hoje qualquer um pode postar num blog a sua opinião, mas numa população de quase 190 milhões cerca de 50 milhões já tiveram algum contato com a internet, o que não é assim tão divulgado é que menos da 25 milhões tem um acesso ativo; ou seja metade dessas pessoas ficaram em frente ao computador por 10 minutos e procuraram uma coisa no Google e nunca mais sequer viram de passagem esse danado de computador.
A verdade é que a grande mídia, que chega a maior parte da população, continua sendo a TV e o rádio. Esses já de longa data, todos sabem que são controlados por políticos. Estranho, não? Já que segundo o artigo 54 da constituição deputados e senadores não podem manter vinculo com empresas que forneçam algum tipo de serviço publico.
Art. 54 - Os Deputados e Senadores não poderão:

I - desde a expedição do diploma:
a) firmar ou manter contrato com pessoa jurídica de direito público, autarquia, empresa pública, sociedade de economia mista ou empresa concessionária de serviço público, salvo quando o contrato obedecer a cláusulas uniformes;
b) aceitar ou exercer cargo, função ou emprego remunerado, inclusive os de que sejam demissíveis ad nutum, nas entidades constantes da alínea anterior;

II - desde a posse:
a) ser proprietários, controladores ou diretores de empresa que goze de favor decorrente de contrato com pessoa jurídica de direito público, ou nela exercer função remunerada;
b) ocupar cargo ou função de que sejam demissíveis ad nutum, nas entidades referidas no inciso I, (a);
c) patrocinar causa em que seja interessada qualquer das entidades a que se refere o inciso I, (a);
d) ser titulares de mais de um cargo ou mandato público eletivo.


Tudo isso começou quando ACM (aquele mesmo) assumiu o Ministério das Comunicações – do qual foi o titular entre 1985 e 1990, no governo Sarney (Nova República) que saiu dando concessões pra quem podia e não podia. Segundo o Ministério das Comunicações e o Diário Oficial da União, no período de 1985 a 1988 (Governo Sarney) foram outorgadas 632 rádios FM; 314 rádios OM; 82 TVs. Ao total, foram 1.028 concessões e permissões.
Mas voltando ao assunto...
O que vejo hoje é que o coronelismo continua ai firme e forte com seus coronéis mandando e desmandando na mídia de massa, e que grande parte da população aceita normalmente e esse é outro problema no Brasil, a população ficou muito bunda-mole, hoje ninguém mais se importa com nada, e se se importa não faz nada. Poucas pessoas fazem alguma coisa para realmente mudar e essas pessoas estão na mídia mais underground, por assim dizer, onde uma pequena parcela tem realmente acesso. Temos que democratizar os meios de comunicação para aí sim viver num país melhor, num sistema como o nosso muitos não sabem de nada e poucos sabem alguma coisa e pouquíssimos sabem realmente A coisa.


link para grafico sobre o estudo "Os Donos da Mídia": donosdamidia

fontes: IBGE, Observatorio da Imprensa e TELECO.

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Caiu o Diploma


Nesta quarta-feira (17/06) foi votada e aprovada no STF a não obrigatoriedade do diploma em jornalismo para exercer a profissão. O ministro e aspirante à atriz e modelo, Gilmar Mendes apresentou seu relatório e voto pela inconstitucionalidade da exigência do diploma para o exercício profissional do Jornalismo, o ex-bbb ministro teve a pachorra de comparar a profissão do jornalismo com as atividades de culinária e corte e costura, para as quais não é exigido diploma. E vem mais por aí, em declaração ao Estadão Mendes disse que essa questão abre a porta para mais profissões que não exigem aporte científico e treinamento específico.

Francamente, heim? Esse ministro gosta de aparecer! Put@ q&%¨ P*r#! "A regulamentação, se for o caso, será considerada inconstitucional", afirmou o presidente do STF. Mendes esclareceu que, a partir de agora, o registro de jornalista no Ministério do Trabalho "perdeu o sentido”. Em Contrapartida o presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Cezar Britto, classificou "um erro de avaliação do ministro”. Então, onde foi que Gilmarzinho aprendeu direito, por que se até o presidente da OAB não concorda com ele alguma coisa ele fez de errado

“O relatório do ministro Gilmar Mendes é uma expressão das posições patronais e entrega às empresas de comunicação a definição do acesso à profissão de jornalista”, reagiu o presidente da FENAJ, Sérgio Murillo de Andrade. Nos resta agora acreditar que as empresas de comunicação irão prezar a qualidade dos seus funcionários e não quanto terão que pagar.

Vir com o argumento de que isso fere à liberdade de expressão é furada. Então quer dizer que só porque você não escreve prum jornal você não tem o direito de se expressar? Claro que não! Você pode sim, e toda a população deveria fazer isso. A questão é que para ser publicada, a noticia deve atender a certas definições que um leigo não poderia escrevê-la com perfeição, a qualidade deve ser prezada acima de tudo. E a internet e os blogs, twitter, fotolog, e tudo o mais, estão aí. Se alguém quiser ser ouvido tem espaço de sobra por aí.

Jornal é lugar para gente séria que sabe o que está fazendo. Um notícia tem um poder enorme e se mal-feita traz grandes responsabilidades, como diria o tio de Peter Parker.

Desliga essa Tv Digital e vá ler um livro!

Claro que com a TV Digital vão acontecer grandes mudanças no cenário da tv brasileira (ou não...) mas eu estive pensando cá com meus botões, esse é mais um passo à favor da tecnologia e contra a "vida social".

Se com a tvd muita coisa vai poder ser feita sem sair de casa, como por exemplo não vai ser mais assim tão necessário ir pra aula, fazer compras e tantas outras coisas; o sedentarismo, que hoje já é enorme, vai crescer ainda mais. Ninguem vai querer pegar um onibus cheio de gente pra ir pra escola de todo tipo à ter que ficar em casa, no sofá assistindo à aula. Se hoje, só com o advento da computação, ninguem mais conhece seu vizinho, ninguem mais fala com o carinha que senta do seu lado no onibus. Vivemos no meio de um isolamento social e psicólogico sem precedentes.

Desse ponto de vista, o futuro seria muito parecido com o do filme Wall-E, onde toda a população vive de uma total dependencia da máquina e são tão obesas que nem conseguem mais se mexer. Temo que cada vez mais estamos proximos de uma Skynet passar a dominar o mundo e a humanidade não passar de meras migalhas para as máquinas.

segunda-feira, 15 de junho de 2009

Sapatos Airlines



A Sapatos Airlines (SAL) teve início em 1969, na Cidade do México. Com a crise dos energúmenos que assolou o México, as transportadoras de calçados tiveram de stopar suas atividades. Com isto, surgiu no mercado a Sapatos Airlines, responsável pelo transporte de calçados por todo o México. Com a fundação da empresa, as indústrias calçadistas estavam salvas e poderiam continuar a produção.

Em 1973, as ações da Sapatos Airlines estavam subindo como seus sapatos voadores. Foi uma época boa para a Sapato Airlines. Em 1988, surgiu uma empresa concorrente, a Flying Chinelos. Felizmente esta empresa faliu 4 anos depois. Ah sim, o felizmente foi porque o autor deste texto trabalha na Sapatos Airlines e não quer perder o emprego.

A companhia descobriu um método simples de fazer o transporte de calçados através do ar: jogar os calçados. Não gasta combustível, não gasta com salário da tripulação e os sapatos não ficam enjoados durante o vôo.

O arremessador de vôo segura o sapato, faz o movimento e lança o sapato pelos ares. Dificilmente o sapato chega ao destino correto. Quando a travessia é muito distante, uma catapulta faz o transporte dos calçados. A chance de acertar o alvo é de 0 em 1 milhão. Apesar desta falta de consideração por parte da Sapatos Airlines, os clientes nunca abandonam esta parceria. Um dia os calçados chegarão ao destino certo.


Fonte: Desciclópédía

sexta-feira, 12 de junho de 2009

AI-5 Digital?

"Aprovado no senado na madrugada de 9 de julho de 2008, o texto substitutivo ao projeto de lei sobre crimes digitais no Brasil transformou-se no alvo de uma guerra virtual entre os defensores de duas ideias essencialmente legítimas. De um lado, a liberdade de expressão. De outro, a necessidade de combater crimes cibernéticos...

Aparentemente, o texto está repleto de boas intenções. Segundo os críticos, daquelas que o inferno está abarrotado. As mudanças propostas pelo senador definem como crimes procedimentos de acesso à rede antes mesmo de o Brasil ter estabelecido um marco regulatório civil sobre o tema. Apelidado de “AI-5 Digital” por grupos de ativistas da internet, o texto poderá transformar provedores de acesso em centros de espionagem e delação, além de favorecer interesses privados de bancos, fabricantes de softwares e indústrias que sofrem com as transformações precipitadas pela rede, entre elas as gravadoras."

Leia o texto completo em:http://www.cartacapital.com.br/app/materia.jsp?a=2&a2=6&i=4261

quinta-feira, 11 de junho de 2009

quinta-feira, 4 de junho de 2009

Notícias de Quinta

*Rock In Rio Pode Voltar Para o Brasil Em 2011: Roberto Medina, empresário e organizador do Rock In Rio em esntrevista à Folha Online afirmou que o festival poderia ocorrer em solo brasileiro mais uma vez em 2011."Tinha difundido a ideia de levar o festival de volta ao Brasil em 2014, na época da Copa do Mundo, mas a prefeitura do Rio quer que o evento se realize antes, em 2011", disse o empresário à Folha. Francamente, eu sempre achei uma lezera sem futuro essa coisa de rock in rio lisboa! Simplesmente os caras viram que num dava certo fazer um festival daquele tamanho no Brasil e resolveram mudar para a Europa e resoveram ficar com o mesmo nome só pra aproveitar a fama, Aí vem a Copa e muda tudo, mas a copa já é assunto pra outro post.
*Pelé é diretor de escolinha de futebol... no wii: O jogo exclusivo de Wii lhe põe no controle de um aluno novo da academia de Pelé. Com ele e o resto do time do rei do futebol você precisa vencer jogos contra diferentes academias controladas por um professor trapaceiro que só pensa em ganhar.Além de Pelé, outras presenças famosas incluem Rayman; os coelhos malucos Rabbids; Sam Fisher, o espião da série "Splinter Cell"; o protagonista do recente "Prince of Persia" e Altaïr, do primeiro "Assassin's Creed". Todos remodelados no estilo visual de "Academy of Champions".
*Massacre da praça da Paz Celestial completa 20 anos: Em 4 de junho de 1989, o Exército chinês enfrentou, na praça da Paz Celestial, em Pequim, estudantes e trabalhadores que protestavam pela democracia no país havia várias semanas. Centenas --ou possivelmente milhares-- de pessoas morreram na repressão aos protestos, e as discussões sobre o evento continuam sendo um tabu na China. Dissidentes do governo chinês que estão exilados tinham pedido que a população fizesse um protesto usando branco --a cor do luto na China--, nesta quinta-feira. Poucos o fizeram.
*Restaurante chinês mata frango com picada de cobra:
Um restaurante chinês tem um prato assás exótico.
Antes de irem parar na panela, os frangos são mortos com uma picada de cobra. Segundo uma funcionária do restaurante a comida não faz mal para a saúde. Ela explicou que, após o frango ser cozido, o veneno da cobra se transforma em uma enzima que pode ajudar a manter o corpo humano aquecido e limpar os vasos sanguíneos. Hummmm... Alguém aí tá com fome?

terça-feira, 2 de junho de 2009

My Name Is Earl


Olá!
Estou com um projeto para possibilitar um maior acesso ao acervo dos episódios desta maravilhosa série que conta as divertidíssimas histórias de Earl J. Hickey, um cara que já fez muita coisa errada e que ao descobrir o "karma" resolve mudar de vida e decide fazer uma lista contendo todas as coisas ruins que já fez em sua vida até aquele ponto e "repará-las", uma por uma. Earl ainda conta com a ajuda de seu desmiolado irmão Randy e a empregada Catalina.
E em minhas procuras para conseguir fazer o download dessa série me deparei com vários links bixados e fora do ar, o único lugar foi na islifecorp (o melhor site de séries). Assim venho por meio deste blog tentar dar uma maior ajuda pra quem também é fã e quer fazer o download de suas séries favoritas.

http://mynameisearldownloads.blogspot.com/